Visitantes desde 08 de Fevereiro de 2016

Visitors since February 08, 2016

A reprodução ou publicidade de seu conteúdo são permitidas apenas para finalidade educativa, desde que citada a fonte.

Reproduction or publicity of any of content  are allowed exclusively for educational purposes, with mention about the source .

 

MERIDIUNGULADOS

Meridiungulates
Os meridiungulados foram os únicos ungulados nativos da América do Sul, tendo evoluído isolados de outros grupos por quase 50 milhões de anos. No passado ocuparam diferentes habitats e adaptaram-se aos mais inusitados estilos de vida - de modo semelhante ao que outras grandes linhagens de ungulados fizeram nas demais regiões do planeta. Todos os meridiungulados estão hoje extintos, mas seus fósseis são comuns nos depósitos sedimentares de praticamente toda a América do Sul, incluindo o Brasil. As afinidades evolutivas destes animais há muito não eram bem compreendidas, até que estudos moleculares mais recentes demonstraram que seus parentes vivos mais próximos são os perissodáctilos.   
 
 
Meridiungulates were the only known ungulates native from South America and have evolved isolated from other groups for over 50 million years. In the past they occupied different habitats and have adapted to the most unusual lifestyles - like other major ungulates lineages in other territories of the world. All meridiungulates are now extinct but their fossils are common in sedimentary deposits of entire South America, including Brazil. Their evolutionary affinities have never been properly understood until more recent molecular studies show that their closest living relatives are perissodactyls.
 
 

PARA SABER MAIS  find more about

BASTOS, A.C.F.; BERGQVIST, L.P. 2007. A postura locomotora de Protolipterna ellipsodontoides Cifelli, 1983 (Mammalia: Litopterna: Protolipternidae) da bacia de São José de Itaboraí, Rio de Janeiro (Paleoceno superior). Anuário do Instituto de Geociências. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 30 (1): p.52-60.

 

BERGQVIST, L.P. 1996. Reassociação do pós-crânio às espécies de ungulados da bacia de S. J. de Itaboraí (Paleoceno), Estado de Rio de Janeiro, e filogenia dos “Condylarthra” e ungulados sulamericanos com base no pós-crânio. Tese (Doutorado). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 406p.

 

BERGQVIST, L.P.; ALMEIDA, E.B. 2004. Biodiversidade de mamíferos fósseis brasileiros. Revista Universidade de Garulhos. Garulhos: Universidade de Guarulhos, 9 (6): p.54-68.

 

BERGQVIST, L.P.; BASTOS, A.C.F. 2009. A postura locomotora de Colbertia magellanica (Mammalia, Notoungulata) da Bacia de São José do Itaboraí (Paleoceno Superior), Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Paleontologia. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Paleontologia, 12 (1): p.83-89.

 

BERTINI, R.J. 1979. Estudo sistemático dos notoungulados. Dissertação (Mestrado). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 125p.

 

CARTELLE, C. 1994. Tempo passado: mamíferos do Pleistoceno de Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora Palco, 131p.

 

CARTELLE, C. 2012. Das grutas à luz: Os mamíferos pleistocênicos de Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora Bicho do Mato, 236p.

 

CARTELLE, C.; LESSA, G. 1988. Descrição de um novo gênero e espécie de Macraucheniidae (Mamalia, Litopterna) do Pleistoceno do Brasil. Paula-Coutiana. Porto Alegre: MCN/Fundação Zoobotânica, 3 (1): p.3-26.

 

COZZUOL, M.A. 2006. The Acre Vertebrate Fauna: Diversity and Geography. Journal of South American Earth Sciences. Amsterdam: Elsevier, 21: p.185-203.

 

FORASIEPI, A.; MARTINELLI, A.; BLANCO, J. (ilust). 2008. Bestiario Fosil: Mamiferos del Pleistoceno de la Argentina (3ed.). Buenos Aires: Albatros Ediciones, 190p. 

 

GALLO, V.S.B.; SILVA, H.M., BRITO, P.M.; FIGUEIREDO, F.J. (orgs.). 2012. Paleontologia de Vertebrados: Relações entre América do Sul e África. Rio de Janeiro: Interciência, 336p.

 

HAAG, N.A. 2009. Paleoecologia do Mioceno Superior da Amazônia Sul-Ocidental. Dissertação (Mestrado). Rio Branco: Universidade Federal do Acre, 73p.

 

HOORN, C.; WESSELINGH, F. 2010. Amazonia, Landscape and Species Evolution: A Look into the Past. Oxford: Wiley-Blackwell Publishers, 464p.

 

MCKENNA, M.C.; BELL, S.K. 1997. Classification of Mammals Above the Species Level. New York: Columbia University Press, 631p.

 

MELO, D.J.; BERGQVIST, L.P.; ALVARENGA, H.M.F. 2007. Considerações Paleoecológicas sobre os Notoungulados da Formação Tremembé, Bacia de Taubaté (São Paulo, Brasil). Anuário do Instituto de Geociências. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 30 (1): p.77-82.

 

PAULA-COUTO, C. 1953. Paleontologia Brasileira: Mamíferos. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 521p.

 

PAULA-COUTO, C. 1979. Tratado de Paleomastozoologia. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 590p.

 

RANZI, A. 2000. Paleoecologia da Amazônia: Megafauna do Pleistoceno. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 101p.

 

RIBEIRO, A.M. 1994. Leontinideos e Notohipideos (Toxodontia, Notoungulata) da Formação Tremembé, Bacia de Taubaté, Estado de São Paulo, Brasil. Dissertação (Mestrado). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 152p.

 

RIBEIRO, G.C. 2010. Avaliação morfológica, taxonômica e cronológica dos mamíferos fósseis da Formação Tremembé (Bacia de Taubaté), Estado de São Paulo, Brasil. Dissertação (Mestrado). São Paulo: Universidade de São Paulo, 112p.

 

SANCHEZ-VILLAGRA, M.R.; AGUILERA, O.; CARLINI, A.A. (orgs.). 2010. Urumaco and Venezuelan Paleontology: The Fossil Record of the Northern Neotropics (Life of the Past). Bloomington: Indiana University Press, 304p.

 

SANTOS, R.M.N. 2007. Revisão dos toxodontes pleistocênicos brasileiros e considerações sobre Trigonops lopesi (Roxo, 1921) (Notoungulata, Toxodontidae). Dissertação (Mestrado). São Paulo: Universidade de São Paulo, 114p.

 

SANTOS, R.M.N. 2012. Diversidade de toxodontes pleistocênicos (Notoungulata, Toxodontidae): uma nova visão. Tese (Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo, 151p.

 

SCHERER, C.S.; PITANA, V.G.; RIBEIRO, A.M. 2009. Proterotheriidae and Macraucheniidae (Litopterna, Mammalia) from the Pleistocene of Rio Grande do Sul State, Brazil. Revista Brasileira de Paleontologia. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Paleontologia, 12 (3): p.231-246.