PAREIASSÁURIDOS

Pareiasaurids
Pareiassáuridos constituem uma linhagem extinta de pararrépteis, caracterizados por membros robustos, cabeças relativamente pequenas e corpos volumosos blindados por rígidas placas ósseas. Entre 265 e 250 milhões de anos os pareiassáurides foram os maiores herbívoros nos ecossistemas terrestres, e estão entre os primeiros amniotas a desenvolver membros dispostos em posição ereta ou semi-ereta sob o corpo - também chamada postura parassagital - uma adaptação que lhes permitia não apenas sustentar melhor todo o seu peso, como também locomoverem-se com mais desenvoltura em busca de alimento ou para fugir de predadores potenciais. 
 
 
Pareiasaurids constitute an extinct parareptile lineage characterized by robust limbs, relatively small heads and bulky bodies shielded by rigid bony plates. Between 265 and 250 million years ago pareiasaurids were the largest herbivores in terrestrial ecosystems and were among the first amniotes that developed upright or semi-upright limbs under their bodies - also called parasagittal gait - an adaptation that allowed them to better sustain their weight as well as move better searching for food or escaping from potential predators.
 
 

1/1

PARA SABER MAIS  find more about

ARAUJO, D.C.F. 1985a. Sobre Pareiasaurus americanus sp. nov., do Permiano Superior do Rio Grande do Sul, Brasil. I- Diagnose específica. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 57: p.63-66.

 

ARAUJO, D.C.F. 1985b. Estudo do material sul-americano de Pareiasauroidea: II – Descrição osteológica de crânio de Pareiasaurus americanus. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 57: p.67-85. 

 

ARAUJO, D.C.F. 1986a. Estudo do material sul-americano de Pareiasauroidea: III – Descrição osteológica da escápula-coracóide de Pareiasaurus americanus. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 58: p.381-387. 

 

ARAUJO, D.C.F. 1986b. Estudo do material sul-americano de Pareiasauroidea: IV – Descrição osteológica do propódio e epipódio dos membros anterior e posterior de Pareiasaurus americanus. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 58: p.389-403. 

 

BENTON, M.J. (org.). 1988. The Phylogeny and Classification of the Tetrapods Vol.1: Amphibians, Reptiles, Birds (The Systematics Association Special Volume). Oxford: Clarendon Press, 392p.

 

CARVALHO, I.S. (org.). 2010. Paleontologia (3ed.) Vol. 3: Paleovertebrados, Paleobotânica. Rio de Janeiro: Interciência, 448p.

 

CISNEROS, J.C.; ABDALA, F.; MALABARBA, M.C. 2005. Pareiasaurids from the Rio do Rasto Formation, Southern Brazil: Biostratigraphic implications for Permian faunas of the Paraná Basin. Revista Brasileira de Paleontologia. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Paleontologia, 8 (1): p.13-14.

 

GALLO, V.S.B.; SILVA, H.M., BRITO, P.M.; FIGUEIREDO, F.J. (orgs.). 2012. Paleontologia de Vertebrados: Relações entre América do Sul e África. Rio de Janeiro: Interciência, 336p.

 

HOLZ, M.; ROS, L.F. (orgs.). 2000. Paleontologia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora UFRGS, 397p.

 

LAURIN, M.; REISZ, R.R. 1995. A reevaluation of early amniote phylogeny. Zoological Journal of the Linnean Society. London: The Linnean Society, 113: p.165-223.

 

ROSA, A.A.S. (org.). 2009. Vertebrados Fósseis de Santa Maria e Região. Santa Maria: Pallotti, 478p.

Visitantes desde 08 de Fevereiro de 2016

Visitors since February 08, 2016

A reprodução ou publicidade de seu conteúdo são permitidas apenas para finalidade educativa, desde que citada a fonte.

Reproduction or publicity of any of content  are allowed exclusively for educational purposes, with mention about the source .