Visitantes desde 08 de Fevereiro de 2016

Visitors since February 08, 2016

A reprodução ou publicidade de seu conteúdo são permitidas apenas para finalidade educativa, desde que citada a fonte.

Reproduction or publicity of any of content  are allowed exclusively for educational purposes, with mention about the source .

 

QUIRÓPTEROS

Chiropterans
Os quirópteros - ou simplesmente morcegos - são os únicos mamíferos conhecidos que desenvolveram a capacidade de voar. Estes animais desenvolveram ainda um sofisticado sistema de orientação com base na emissão de sons, chamada ecolocalização. São conhecidas mais de 1.100 variedades de morcegos, a maioria com uma dieta baseada em frutos, folhas, insetos, peixes e até mesmo néctar de flores. Apenas 3 espécies alimentam-se exclusivamente de sangue e são chamadas hematófagas. A fragilidade do esqueleto destes animais diminui significativamente as chances de preservação após a morte; por essa razão fósseis de morcegos são extremamente raros no mundo todo - inclusive no Brasil. 
 
 
Chiropterans - or simply bats - are the only mammals that evolved the ability to fly. These animals also developed a sophisticated guidance system based on the emission of sounds, called echolocation. We have known more than 1,100 varieties of bats, mostly with a diet based on fruits, leaves, insects, fish and even flower nectar. Only three species feed exclusively on blood and are called hematophagous. The fragility of their skeleton reduces significantly the chances of preservation after death; for this reason bats fossils are extremely rare worldwide - even in Brazil.
 
 
 

PARA SABER MAIS  find more about

ATTENBOROUGH, D. 2002. The Life of Mammals. Princeton: The Princeton University Press, 320p.

 

CARTELLE, C. 1994. Tempo passado: mamíferos do Pleistoceno de Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora Palco, 131p.

 

CARTELLE, C. 2012. Das grutas à luz: Os mamíferos pleistocênicos de Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora Bicho do Mato, 236p.

 

CARTELLE, C.; ABUHID, V.S. 1994. Chiroptera do Pleistoceno Final - Holoceno da Bahia. Acta Geologica Leopoldensia. São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 39 (1): p.429-440.

 

COZZUOL, M.A. 2006. The Acre Vertebrate Fauna: Diversity and Geography. Journal of South American Earth Sciences. Amsterdam: Elsevier, 21: p.185-203.

 

GALLO, V.S.B.; SILVA, H.M., BRITO, P.M.; FIGUEIREDO, F.J. (orgs.). 2012. Paleontologia de Vertebrados: Relações entre América do Sul e África. Rio de Janeiro: Interciência, 336p.

 

GARDNER, A.L. 2007. Mammals of South America Vol.1: Marsupials, Xenarthrans, Shrews and Bats. Chicago: University of Chicago Press, 669p.

 

GRAHAM, G.L.; REID, F.A.(ilust). 2001. Bats of the World. New York: St. Martin's Press, 160p.

 

HEISER, J.B.; JANIS, C.M.; POUGH, F.H. 2008. A Vida dos Vertebrados (4ed.). São Paulo: Atheneu, 718p.

 

PAULA-COUTO, C. 1953. Paleontologia Brasileira: Mamíferos. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 521p.

 

RANZI, A. 2000. Paleoecologia da Amazônia: Megafauna do Pleistoceno. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 101p.

 

RIBEIRO, G.C. 2010. Avaliação morfológica, taxonômica e cronológica dos mamíferos fósseis da Formação Tremembé (Bacia de Taubaté), Estado de São Paulo, Brasil. Dissertação (Mestrado). São Paulo: Universidade de São Paulo, 112p.

 

TURNER, A.; ANTON, M.(ilust). 2004. National Geographic Prehistoric Mammals. Washington: The National Geographic Society, 192p.