Visitantes desde 08 de Fevereiro de 2016

Visitors since February 08, 2016

A reprodução ou publicidade de seu conteúdo são permitidas apenas para finalidade educativa, desde que citada a fonte.

Reproduction or publicity of any of content  are allowed exclusively for educational purposes, with mention about the source .

 

PERCIFORMES

Perciforms
Os perciformes agrupam a maior diversidade de actinopterígios conhecida na atualidade: cerca de 40% das espécies viventes. Pode-se dizer que a história desta linhagem não é tão antiga quando comparada a de outros actinopterígios: seus primeiros representantes surgiram há cerca de 90 milhões de anos. Estes peixes apresentam uma grande variedade de formas e habitam praticamente todos os tipos de habitats aquáticos. No Brasil fragmentos fossilizados de perciformes extintos costumam ser encontrados tanto em depósitos sedimentares formados em antigos ambientes costeiros como também em água-doce.
 
 
Perciforms gather the highest diversity of actinopterygians known today: about 40% of all living species. It can be said that their history is not as old as compared to other actinopterygians: their first representatives appeared about 90 million years ago. These animal show a large range of shapes and inhabit virtually all types of aquatic habitats. In Brazil fossilized fragments of extinct perciforms use to be found in both sedimentary deposits formed in ancient coastal environments as well as in fresh-water.
 
 

PARA SABER MAIS  find more about

BARTON, M. 2006. Bond’s Biology of Fishes (3ed.). New York: Thomson Brooks, 912p.

 

GALLO, V.S.B.; SILVA, H.M., BRITO, P.M.; FIGUEIREDO, F.J. (orgs.). 2012. Paleontologia de Vertebrados: Relações entre América do Sul e África. Rio de Janeiro: Interciência, 336p.

 

LONG, J.A. 1996. The Rise of Fishes: 500 Million Years of Evolution. Baltimore: The John Hopkins University Press, 224p.

 

LECOINTRE, G.; LE GUYADER, H. 2007. The Tree of Life: A Phylogenetic Classification. Cambridge: Harvard University Press, 560p.

 

MAISEY, J.G. 1996. Discovering Fossil Fishes. New York: Henry Holt & Co, 223p.

 

MALABARBA, M.C.; MALABARDA, L.R. 2008. A new cichlid Tremembichthys garciae (Actinopterygii, Perciformes) from the Eocene-Oligocene of eastern Brazil. Revista Brasileira de Paleontologia. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Paleontologia, 11 (1): p.59-68.

 

MELO, D.J.; SILVA, R.C.G.; MOURA, A.A.P.; CASSAB, R.C.T.; CARVALHO, M.S.S.C. 2005. Fósseis da Localidade de Nova Iorque, Maranhão, no Acervo do Museu de Ciências da Terra / Departamento Nacional da Produção Mineral. Anuário do Instituto de Geociências. Rio de Janeiro: UFRJ, 28 (1): p.181-182.

 

NELSON, J.S. 2006. Fishes of the World (4ed.). New York: Wiley, 624p.

 

SANTOS, M.E.C.M.; CARVALHO, M.S.S. 2004. Paleontologia das Bacias do Parnaíba, Grajaú e São Luís: Reconstituições Paleobiológicas. Rio de Janeiro: CPRM, 212p.

 

SILVA-SANTOS, R.; OLIVEIRA, A. 1974. Considerações sobre um ciclídeo da Bacia do Paraíba, Estado de São Paulo. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 46: p.699.

 

SILVA-SANTOS, R.; SANTOS, H.S. 1993. Tremembichthys pauloensis (Schaeffer, 1947) (Pisces, Cichlidae) da Formação Tremembé, Estado de São Paulo, Brasil. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro: ABC, 65: p.41-55.

 

SILVA, M.C. 2007. Os vertebrados da Bacia da Paraíba: Cretáceo Superior-Paleoceno, Nordeste do Brasil. Dissertação (Mestrado). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 201p.

 

SOUZA LIMA, W.; RICHTER, M.; BUCKUP, P.; SOUZA LIMA, W. 2002. Os fósseis da bacia de Sergipe-Alagoas: Os peixes marinhos. Revista Paleontológica Phoenyx. Aracaju: Fundação Paleontológica Phoenyx, 4 (41): p.1-4.