TETRAODONTIFORMES

Tetraodontiforms
Os tetraodontiformes reúnem as cerca de 350 espécies de baiacus conhecidas atualmente. São encontrados frequentemente em águas costeiras, habitando principalmente recifes de corais. Baiacus são conhecidos por terem desenvolvido notáveis adaptações para defensa contra predadores: a capacidade de inflar o corpo de modo a parecer maior e mais agressivo é comum à maioria das espécies do grupo. Alguns, contudo, sofisticaram suas linhas de defesa revestindo o corpo com espinhos pontiagudos, enquanto outros desenvolveram glândulas capazes de liberar toxinas letais em caso de ameaça. Ao invés de dentes os baiacus possuem poderosas placas serrilhadas na boca que permitem que se alimentem de invertebrados de concha ou carapaça rígidas. Por conta de sua estrutura resistente e facilidade de preservação, estas placas dentárias constituem o principal registro paleontológico das espécies extintas destes peixes.
 
 
Tetraodontiforms gather about 350 species of puffer fish currently known. They use to be found in coastal waters, mainly around coral reefs. Puffer fish are known by their remarkable adaptations for defense against predators: the ability to inflate the body to seem bigger and more aggressive is a common feature of most species. Some types, however, sophisticated their defense lines coating their bodies with sharp spines, while others have developed the hability of releasing lethal toxins if threatened. Instead of teeth puffer fishes have powerful serrated plates inside the mouth that allow them to consume invertebrates with shells or rigid carapaces. The resistant structure of these plates increases the chances of their preservation, so they use to be the main paleontological record of extinct puffer fishes.
 
 

PARA SABER MAIS  find more about

BARTON, M. 2006. Bond’s Biology of Fishes (3ed.). New York: Thomson Brooks, 912p.

 

GALLO, V.S.B.; SILVA, H.M., BRITO, P.M.; FIGUEIREDO, F.J. (orgs.). 2012. Paleontologia de Vertebrados: Relações entre América do Sul e África. Rio de Janeiro: Interciência, 336p.

 

LONG, J.A. 1996. The Rise of Fishes: 500 Million Years of Evolution. Baltimore: The John Hopkins University Press, 224p.

 

LECOINTRE, G.; LE GUYADER, H. 2007. The Tree of Life: A Phylogenetic Classification. Cambridge: Harvard University Press, 560p.

 

MAISEY, J.G. 1996. Discovering Fossil Fishes. New York: Henry Holt & Co, 223p.

 

MEDEIROS, M.A. 2001. A Laje do Coringa (ilha do Cajual, bacia de São Luís, baía de São Marcos, MA): conteúdo fossilífero, bioestratinomia, diagênese e implicações na paleobiogeografia do Mesocretáceo do nordeste Brasileiro. Tese (Doutorado). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 134p.

 

NELSON, J.S. 2006. Fishes of the World (4ed.). New York: Wiley, 624p.

 

SANTOS, M.E.C.M.; CARVALHO, M.S.S. 2004. Paleontologia das Bacias do Parnaíba, Grajaú e São Luís: Reconstituições Paleobiológicas. Rio de Janeiro: CPRM, 212p.

 

SILVA, M.C. 2007. Os vertebrados da Bacia da Paraíba: Cretáceo Superior-Paleoceno, Nordeste do Brasil. Dissertação (Mestrado). Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 201p.

Visitantes desde 08 de Fevereiro de 2016

Visitors since February 08, 2016

A reprodução ou publicidade de seu conteúdo são permitidas apenas para finalidade educativa, desde que citada a fonte.

Reproduction or publicity of any of content  are allowed exclusively for educational purposes, with mention about the source .